Propostas de Redação

Proposta de redação: Os desafios de se equilibrar trabalho e lazer

      A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo de sua formação, redija um texto dissertativo-argumentativo na modalidade escrita formal da língua portuguesa sobre o tema: “ Os desafios de se equilibrar trabalho e lazer”. Apresente experiência ou proposta de ação social, que respeite os direitos humanos. Selecione, organize e relacione, de forma coerente e coesa, argumentos e fatos para defesa de seu ponto de vista.

 

Trabalho x lazer: como conciliar as duas coisas para ter sucesso na carreira?

 

     Com o mercado cada vez mais competitivo, é comum as pessoas se sentirem obrigadas a trabalhar mais para manter o emprego ou conseguir a tão sonhada chance de crescimento na carreira. Contudo, quando entramos nesse fluxo de trabalho contínuo, por vezes, acabamos nos esquecendo dos nossos limites, o que pode ser considerado um erro bem grave.

      Não é à toa que uma ideia sempre presente em biografias de pessoas de sucesso refere-se à importância do equilíbrio entre todas as áreas da vida, incluindo a espiritual, física, financeira, profissional, pessoal e emocional. Isso porque, mais do que trabalhar duro, para sermos bem sucedidos é imprescindível que tenhamos os melhores resultados. Uma tarefa que nem sempre está entre as mais fáceis.

    Para gerar bons resultados é essencial combinar uma série de fatores como competência, planejamento, trabalho e inspiração. Sendo que essa última está intimamente correlacionada ao lazer. Pessoas tranquilas e descansadas são mais “inspiradas” do que as pessoas nervosas e estressadas.

    Prova disso é a experiência realizada pela empresa americana de marketing e propaganda SteelHouse. Ao perceber que muitos funcionários deixavam de tirar férias e, por isso, perdiam produtividade, a companhia passou a pagar um bônus de 2 mil dólares anualmente para cada colaborador viajar durante suas férias, que podem ser tiradas de uma só vez ou dividida em pequenas viagens. A estratégia não poderia dar mais certo, logo após retornarem, era perceptível como os funcionários se tornavam mais produtivos e propensos a entregar os melhores resultados.

    É claro que, em algumas fases da vida, uma carga extra de trabalho pode ser necessária, quando, por exemplo, estamos próximos da conclusão de um projeto importante. Porém, é muito difícil manter um longo período de trabalho mais pesado, sem perder qualidade. Por outro lado, algumas pessoas também possuem um ritmo muito abaixo do necessário, como as que se impõem limites abaixo do esperado pelas empresas, o que, definitivamente, pode comprometer suas carreiras.

    Se você parar alguns minutos para analisar as pessoas à sua volta, poderá perceber que as que mais produzem e com melhor qualidade são as que, ao mesmo tempo, além de trabalharem, praticam esportes, participam de eventos sociais, realizam trabalhos voluntários, entre outras atividades.

     Muitos dizem que, se você quer que alguma coisa se realize, peça para alguém ocupado. Pessoas “ocupadas” estão em um ritmo forte de realização e já aprenderam a se organizar e a priorizar suas tarefas. Já as pessoas “com baixa ocupação” possuem mais dificuldade em receber uma nova tarefa. Sistematicamente, criam verdadeiros obstáculos a realização de tudo que lhes é solicitado.

    Mas, lembre-se que é preciso ter tempo para tudo, inclusive para pensar e descansar. Para que você esteja sempre atento aos seus limites guarde a frase do parapsicólogo Frei Albino Aresi: “Deus perdoa sempre, o homem às vezes e a natureza nunca”. Sendo assim, fica a dica, equilíbrio nunca é demais!

 

(*) Luciano Zorzal é palestrante, consultor, diretor de expansão e sócio-fundador da Zorzal Consultores & Auditores Associados

Texto 2

 

 

Brasileiros não conseguem equilíbrio entre trabalho e lazer

POSTED ON 16/05/2017 BY KF MEDICINA DO TRABALHO

16 maio

     A preocupação com o equilíbrio entre vida pessoal e profissional vem crescendo globalmente, segundo a pesquisa “Hay Group Insight’s 2012”, divulgada hoje pela consultoria Hay Group. Dados do levantamento mostram que, no mundo, 39% dos funcionários entrevistados não têm um bom equilíbrio entre as duas esferas. Em 2011, esse índice era de 32%. No Brasil, os números são um pouco diferentes, mas mostram a mesma tendência. Entre os 620 mil profissionais pesquisados no país, de 80 empresas diferentes, 36% dizem que não conseguem equilibrar vida pessoal e trabalho, contra 30% em 2011.

      A América Central é a região com mais profissionais satisfeitos, com 70% dizendo que as empresas nas quais trabalham os apoiam para que cheguem ao equilíbrio entre trabalho e lazer. Na sequência aparecem América do Norte (65%), Ásia Oriental (63%), América Latina e Caribe (63%) e Sul da Ásia (62%).

     A falta de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal causa insatisfação. Segundo a pesquisa, 27% dos funcionários das empresas que não são bem-avaliadas na oferta de apoio para esse equilíbrio planejam deixar a companhia nos próximos dois anos. Já nas empresas listadas entre as que mais oferecem apoio para essa questão, apenas 17% têm a mesma intenção.

     O desequilíbrio entre as duas esferas da vida pode ser explicado pela carga de trabalho. De acordo com o levantamento, 52% dos profissionais no mundo dizem que não há pessoas suficientes para fazer o trabalho nas áreas em que atuam. No Brasil o número é bem semelhante: 51%. “As empresas ao redor do mundo continuam pedindo aos seus funcionários que façam mais com menos, levando a um aumento na insatisfação com o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal”, disse Mark Royal, diretor sênior do Hay Group Insight, ao comentar os resultados do estudo. Segundo ele, trabalho a distância e horários flexíveis não serão suficientes para resolver a questão. Para Royal, as empresas deveriam pensar em soluções de longo prazo, ajudando suas equipes a serem mais produtivas e identificando formas de remodelar a força de trabalho.

     A pesquisa demonstrou que os funcionários que conseguem perceber o apoio de suas empresas para que eles tenham mais equilíbrio entre trabalho e lazer confiam mais na organização e em sua capacidade de atrair talentos. Entre aqueles que trabalham nas empresas mais bem avaliadas no assunto, 71% disseram que suas companhias são boas ou muito boas na habilidade de atrair profissionais altamente qualificados e 58% concordaram com a afirmação “acredito que sou pago de forma justa pelo trabalho que faço”. Já nas organizações não tão bem avaliadas na questão do equilíbrio, as mesmas respostas foram dadas por 45% e 36%, respectivamente.

[Fonte: Valor.com, por Adriana Fonseca]

Vídeos de apoio:

 

https://www.youtube.com/watch?v=t3KyJdEj5ZM

https://www.youtube.com/watch?v=FDtN7UOnBEA

https://www.youtube.com/watch?v=Gg4GHGoqu3o