Proposta de redação: A música tem mesmo o poder de interferir no comportamento e na saúde das pessoas, ou essas afirmações não passam de curiosidades, de pesquisas de menor importância?

Escreva um texto dissertativo-argumentativo que responda à seguinte pergunta:

A música tem mesmo o poder de interferir no comportamento e na saúde das pessoas, ou essas afirmações não passam de curiosidades, de pesquisas de menor importância?

 

Música alta pode afetar memória e aprendizagem, diz estudo

(BBC Brasil, disponível em http://saude.terra.com.br, acesso em 06/09/2013)

 

Muitos adolescentes gostam de ouvir música alta, especialmente durante os estudos, costume que tem sido criticado pelos pais através de gerações. Agora, cientistas da Argentina mostraram que a reclamação dos progenitores não é pura chateação: através de um experimento com ratos, eles descobriram que o som alto pode afetar a memória e os mecanismos de aprendizagem de animais em desenvolvimento. O trabalho publicado na revista Brain Research foi realizado utilizando camundongos com idade entre 15 e 30 dias, o que corresponde a uma faixa etária entre 6 a 22 anos nos humanos. ‘Nós usamos ratos, pois eles têm um sistema nervoso semelhante aos seres humanos’, disse à BBC Mundo Laura Guelman, coordenadora do projeto e pesquisadora do Centro de Estudos Farmacológico e Botânico (Cefybo) da Universidade de Buenos Aires (UBA). Os pesquisadores expuseram os animais a intensidades de ruído entre 95 e 97 decibéis (dB) mais altos do que o patamar considerado seguro (70-80 dB), porém abaixo da intensidade de som que produz, por exemplo, um show de música (110 dB). Concluído o experimento, eles descobriram que, depois de duas horas de exposição, os ratos sofreram danos irreversíveis nas células cerebrais. Segundo os pesquisadores, foram identificadas anormalidades na área do hipocampo, uma região associada com os processos de memória e aprendizagem. (...)

Já era sabido que a exposição ao som alto pode causar deficiência auditiva, cardiovascular e do sistema endócrino (além de stress e irritabilidade), mas Guelman afirmou que é a primeira vez que tais alterações morfológicas são detectadas no cérebro. (...) Depois de entender esse mecanismo, os peritos tentarão desenvolver drogas que podem prevenir lesões. Enquanto isso, cientistas argentinos acreditam que este estudo deve servir como um alerta para evitar a exposição das crianças a sons altos. Com a descoberta, os professores, que já se queixam de como as novas tecnologias podem distrair os alunos, têm agora um novo argumento para proibir os gadgets em sala de aula.

 

A partir da leitura do texto, escreva um texto de 15 a 20 linhas, no qual apresente sua opinião sobre o tema tratado.

 

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:

Confira coisas que você não sabia sobre o poder da música (fragmento)

 

1) No desempenho

Ouvir música ao mesmo tempo em que se realizam outras tarefas pode ter os mais variados efeitos. Pesquisadores da Universidade Chemnitz e da Universidade de Erfurt, ambas na Alemanha, comprovaram que, durante a leitura, ouvir música de fundo pode afetar a compreensão. Na memória, os efeitos foram negativos, mas muito baixos. Já na prática de atividades físicas e em reações emocionais, os impactos da música são muito positivos.

2) No comportamento

Ao testar os efeitos da música no comportamento das pessoas e, especialmente, em suas condutas sociais positivas, pesquisadores da Universidade de Sussex, no Reino Unido, descobriram que ouvir músicas com letras socialmente positivas aumentaram a disposição de ajuda nos ouvintes.

3) Na personalidade

Segundo as pesquisas de Peter J. Rentfrow e Samuel D. Gosling, os gostos musicais podem prever a personalidade das pessoas. Por exemplo, gostos complexos e reflexivos, como blues, jazz, música clássica e folk, refletem personalidades emocionalmente estáveis, abertas para novas experiências, boas habilidades verbais e com inteligência acima da média.

4) Na dor

Laura Mitchell, Raymond MacDonald e Christina Knussen concluíram em seus estudos que ouvir sua música preferida durante períodos de dor pode aumentar de forma significativa a tolerância à dor, se comparado com estímulos visuais ou silêncio.

5) No romance

Nicolas Guéguen estudou os efeitos das músicas românticas. Seus experimentos revelaram que  das mulheres que participaram dos experimentos ofereceram seus telefones quando uma música romântica estava tocando. Do outro lado, quando a música tocada era neutra, a porcentagem caiu para

 

(http://noticias.universia.com.br/destaque/noticia/2012/05/17/931756/10-curiosidades-musica.html. Com adaptações. Acessado em 10/10/2013.)

 

 

  1. 13. (G1 - cp2 2014) Como visto no texto, muitas pesquisas científicas têm por objetivo constatar a influência da música na vida das pessoas, nas mais variadas situações. Na França, por exemplo, cientistas da Universidade Bretagne-Sud garantem que, em bares, aumentar o volume da música eleva o consumo de álcool e que, em lojas de flores, músicas românticas provocam aumento das vendas.

 

Escreva um texto dissertativo-argumentativo que responda à seguinte pergunta:

A música tem mesmo o poder de interferir no comportamento e na saúde das pessoas, ou essas afirmações não passam de curiosidades, de pesquisas de menor importância?